sábado, 20 de julho de 2013

Coleção - Camisa Nº 4

Se fosse seguir a ordem, do período que esta camisa passou à minha posse, ela demoraria mais alguns meses até aparecer por aqui. Explico, esta camisa era do meu pai e ele me deu já quando tínhamos voltado a Maceió, até mesmo porque até então eu não tinha camisa do clube local. Explicarei...

Moramos de 1990 a 2000 em Aracaju-SE. A minha referência de futebol em Alagoas foi o CSA, especialmente por conta do tetracampeonato do final daquela década - com direito à final da Copa Conmebol, ainda hoje o único nordestino a chegar numa final internacional. Se virei palmeirense, em casa de corintiano, graças à TV (e à era Parmalat), a escolha foi herdada no Estado de origem. Não à toa que em Sergipe torcíamos, ou simpatizávamos, com o Confiança.

Lembro (bem) de ter ido a uma partida contra o Itabaiana, no Estádio Presidente Médici, pela Série C de 1997. Derrota de 2 a 0. Além de ter ido alguns anos antes disso, para o Estádio Rei Pelé para ver uma partida do CSA a qual não me recordo. Só sei que fui ao estádio e, quem diria, dormi, cansado da viagem realizada horas antes de Aracaju para Maceió.

Esta camisa tem boas histórias. Ela chegou à família por meio de uma tia, que trabalhava numa (então) grande livraria de Maceió pelas mãos do então presidente do CSA, Arnon de Mello Neto. O nome não é mera coincidência. Ele é filho do senador Fernando Collor, e inclusive falaria sobre ele posteriormente, num equívoco, em meu ver, de uma revista nacional. Ele fazia compras na livraria/papelaria e ganhou, se me lembro bem, duas camisas no período. Como é a única azulina da família, deu os uniformes ao meu pai.

Este é de 1999, sendo utilizado na Copa do Nordeste daquele ano, em que o CSA foi eliminado pelo Bahia nas quartas-de-final, mas garantiu vaga para a Copa Conmebol com o bom torneio realizado. Eu não encontrei imagens, mas ela teria sido utilizada também no torneio sul-americano. Esta não é a utilizada no quarto título seguido, conquistado em 1999, porque nela o patrocínio da Vasp pulou para frente e o da Tampico para trás da camisa, que, por sinal, é bem bonita, apesar do material ser pesado.

Ainda deu tempo de em Aracaju o meu pai ser questionado nas ruas do Centro de como ele tinha conseguido esta camisa. Não lembro que fim levou a do ano anterior, provavelmente (e infelizmente) deve ter ido para o lixo. Esta resiste bravamente, guardada, como item da minha coleção, a qual deve ter sido entregue a mim em 2004 ou 2005.

Camisa 4
Centro Sportivo Alagoano
Réplica
1999
Valor não recordado

Um comentário: