segunda-feira, 2 de março de 2015

Arquivos implacáveis do futebol alagoano

Falar em história do futebol alagoano é lembrar de Lauthenay Perdigão. Ex-quase-jogador, repórter esportivo e colecionador de objetos ligados ao esporte que, desde a década de 1990, encontram-se reunidos no Museu dos Esportes Edvaldo Alves Santa Rosa (Dida), no Estádio Rei Pelé, Lauthenay publicou quatro livros sobre futebol em Alagoas.

"História do futebol alagoano: arquivos implacáveis" foi publicado inicialmente na década de 1980, republicado em 2011 e ganhou terceira edição no ano passado, via coleção "Pensar Alagoas", da Imprensa Oficial Graciliano Ramos.

Importante frisar a importância das publicações da Imprensa Oficial, especialmente no trabalho desenvolvido nos últimos anos, com a publicação da Revista Graciliano - que dedicou, inclusive, uma edição ao clássico CSA X CRB - e a republicação de obras clássicas, a preços populares, e de outras que marcam a produção literária e acadêmica locais. A produção apoia o trabalho realizado pela Edufal, que um dos volumes da série "Cronistas Alagoanos" estou lendo - também sobre futebol.

Os 16 capítulos de "História..." começam com o nascimento do futebol em Alagoas, a partir de Penedo em 1908, passando pela sua difusão para outras cidades, com destaque para Maceió, e a organização dos campeonatos e das disputas entre seleções estaduais, com o marco deste processo sendo o final da década de 1920.
O relato segue com textos mais ao estilo de crônicas, misturando a emoção de quem é apaixonado pelo futebol com a memória de quem o acompanha há décadas, em mais de 80 anos de vida. Jogadores, árbitros, dirigentes, técnicos, torcedores, cronistas, etc. Todos têm sua parte no livro.

Enquanto pesquisador da área, importante frisar que algumas partes acabam se repetindo em um ou outro capítulo e que o intuito aqui é o de registro histórico, não se preocupando com registros acadêmicos formais. "História..." serve como uma das portas a serem abertas para quem se interesse sobre a história do futebol alagoano, lendo sobre momentos históricos, conhecendo personagens desta e entendendo o porquê de continuarmos na periferia do futebol brasileiro. E, mesmo assim, seguirmos indo aos estádios com a mesma emoção de outrora.

REFERÊNCIA
PERDIGÃO, Lauthenay. História do futebol alagoano: arquivos implacáveis. Maceió: Imprensa Oficial Graciliano Ramos, 2014. (Coleção Pensar Alagoas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário